Jonathan (1/?)

Eu sinto o sol no teu corpo frio

Vejo o sol, abro a janela, sinto a brisa. Observo teu corpo em minha cama, resto de vinho em taças sobre a mesa, carteira de cigarro e meu isqueiro.
Tomo o resto do vinho, com o cigarro  aceso dou meia volta e beijo tuas costas. Cheiro seu cabelo e tenho cuidado ao levantar da cama, pois sei que tem o sono leve. Mas parece que hoje você quer continuar a sonhar.
Não dormi ontem, liguei pra você e veio até mim, te abracei nos beijamos e transamos. No entanto não como das outras vezes… Estávamos conectados, de forma tão precisa e sutil, mas não importa. Finalmente nos entendemos.
Ainda sim estou a te olhar da varanda, enquanto termino o cigarro e as lembranças dos seus dedos em meu corpo me fazem sorrir e absurdamente não fico incomodado com teus toques, caminho até a beira da cama, deito por cima do seu corpo tiro teus cabelos da orelha e sussurro à você “foi bom e é uma pena ser a última vez”
beijo seus olhos e observo seu corpo a se debater, você sabe o que acontece naquele instante e eu apenas digo para não ter medo, peço desculpas e a sufoco até ver que não existe mais vida em seu ser. Saio de cima de seu corpo e sinto-me saciado por completo, vou até a varando e fumo mais um cigarro.
– Adeus, baby.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s